Author's posts

Os fora-da-lei

O relato que se segue, escrito na primeira pessoa do singular, foi-nos enviado por uma das pessoas que se voluntariaram para recolher subscrições da ILC-AO na Feira do Livro do Porto de 2018, à semelhança do que já tinha sucedido em eventos similares dos quais temos dado aqui igualmente conta. O texto refere uma ocorrência …

Continue reading

Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2018/09/13/os-fora-da-lei/

Em defesa da ortografia (por João Esperança Barroca)

EM DEFESA DA ORTOGRAFIA II Ou o AO 90, os partidos políticos, Tomar e os cidadãos “Como é hábito em Portugal, a discussão sobre o Acordo Ortográfico foi sendo desviada do essencial, com a irracionalidade a invadir o debate. Os contra eram uma cambada de retrógrados, os apoiantes davamprovas de progressismo. O curioso é que …

Continue reading

Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2018/07/29/em-defesa-da-ortografia-por-joao-esperanca-barroca/

Estamos n’A Barraca

Passada a Feira do Livro de Lisboa e enquanto aguardamos pelo próximo grande evento do género, a ILC-AO vai-se desdobrando em outro tipo de acções de divulgação da iniciativa e de recolha de subscrições. Neste momento está a decorrer mais uma, no Teatro Cinearte, a propósito da apresentação do espectáculo “1936, o Ano da Morte …

Continue reading

Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2018/07/26/estamos-na-barraca/

Dignidade (por Maria do Carmo Vieira)

DIGNIDADE Já expressámos, por inúmeras vezes, a nossa convicção de que o pouco interesse pela Cultura, manifestado por parte de quem manda, resulta da opção consciente em anular o que é espiritual, talvez porque também nunca tenham sentido os seus efeitos benéficos, defendendo e valorizando superlativamente tudo o que conduza, com facilidade e rapidez, à …

Continue reading

Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2018/07/06/dignidade-por-maria-do-carmo-vieira/

“Um acto de resistência” (por Maria do Carmo Vieira)

Vinte mil assinaturas Obedecer é como confessar que nada valho. Henry Thoreau A frase que serve de epígrafe a este texto reflecte a profunda amizade que criei com o escritor norte-americano, desde a leitura da sua obra Desobediência Civil. Uma frase que interiorizei e aprendi de cor, ou seja, no seu sentido etimológico, aprendi de …

Continue reading

Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2018/05/11/um-acto-de-resistencia-por-maria-do-carmo-vieira/