Jan 28 2018

Um último Zenão

Caro subscritor da ILC,

Em primeiro lugar, as boas notícias: a ILC-AO regressou anteontem [26 de Janeiro] à Assembleia da República e ali obteve a garantia de que esta Iniciativa será tratada com toda a imparcialidade, e não será prejudicada pelo facto de, no curto espaço de um ano, ter atravessado três normas diferentes para a recolha de subscrições. É uma medida justa, que premeia o esforço que sempre fizemos para acompanhar as diferentes (e sucessivas) disposições da Lei.

Recordamos que, mesmo quando a mudança trouxe de volta o Nº de Eleitor — com a inerente complicação do processo de subscrição — a ILC acatou essa alteração e modificou o formulário de recolha, bem como toda a estrutura da sua base de dados, de modo a que as subscrições continuassem a ser recolhidas nos termos da Lei.

Para que esta ILC possa seguir o seu caminho resta apenas um “pequeno” senão: é necessário recolhermos as assinaturas que faltam. É certo que nos aproximamos do objectivo — para que possamos entregar esta ILC no Parlamento são necessárias 20.000 subscrições e faltam pouco mais de 4.000. Mas também é verdade que, à medida que avançamos, o caminho parece tornar-se cada vez mais penoso.

Estas são as más notícias.

A explicação para este fenómeno é simples: recolher quatro mil assinaturas contra o Acordo Ortográfico não é, pelo menos aparentemente, tarefa complicada. O problema é que não estamos a falar de quaisquer 4.000 assinaturas — estamos a falar das assinaturas que vão da 16.001 à 20.001. Nesta altura do campeonato, já todos nós — os mais envolvidos na questão — subscrevemos a Iniciativa, bem como o fez a maior parte das pessoas que conhecemos.

Para quem gosta de Matemática, esta ILC fez 2/3 do seu caminho no tempo das subscrições em papel. Com a criação da subscrição “online” passámos a barreira dos 3/4 e estamos agora a caminho dos 4/5 do percurso. Trata-se de incrementos cada vez menores mas, para que este exercício não se transforme num paradoxo de Zenão, é necessário que o tempo gasto em cada uma destas etapas não aumente exponencialmente.

Por este motivo, peço a todos os subscritores da ILC um esforço redobrado na angariação de assinaturas. As perspectivas, apesar de tudo, são boas — e queria deixar-vos estas palavras de ânimo. Mas é necessário que todos nós façamos mais do que recolher a própria assinatura e, quando muito, mais uma ou duas.

Há pequenos gestos que estão ao alcance de todos:
1) Difundir este texto. Como sabem, só temos contacto com uma pequena parte dos nossos subscritores. Se conhece alguém que subscreveu a ILC mas não acompanha regularmente este nosso “sítio” oficial ou a nossa página no Facebook, envie-lhe este artigo.
2) Em segundo lugar, certifique-se de que está tudo bem com a sua própria assinatura. Se subscreveu esta ILC em papel, envie-nos a sua data de nascimento, bem como o seu nº de BI ou CC para que possamos localizar a sua subscrição. Pode fazê-lo através do e-mail data_nascimento@ilcao.com, por exemplo. Mais explicações sobre este passo aqui.
3) Finalmente, e isto será talvez o mais importante, é preciso divulgar, divulgar, divulgar a ILC. Há uma grande maioria de portugueses que continua a não aceitar o AO mas, para chegarmos até eles, será talvez necessário sairmos da nossa zona de conforto e do nosso círculo mais próximo de amigos.

Temos a obrigação de fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que as gerações seguintes não fiquem limitadas a uma ortografia pobre, confusa e feia.

Vamos a isto!

Uma boa semana para todos.

Rui Valente

imagem http://sites.unicentro.br/wp/petfisica/2017/09/24/paradoxo-da-dicotomia/ sem indicação de autor.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2018/01/28/vamos-ultrapassar-um-ultimo-zenao/

2 comentários

    • Júlio Freire de Andrade on 29 Janeiro, 2018 at 0:19
    • Responder

    Subscrevi a iniciativa mas já não me lembro se foi antes ou depois das últimas exigências. Como posso saber se o meu nome está inscrito na última versão? O meu nome completo é: Júlio Pedro Gonçalves Freire de Andrade.

    1. Caro Júlio Freire, boa noite. A nossa base de dados é só uma e engloba todas as subscrições recebidas, sejam elas em papel ou por via digital. Algumas estão mais completas do que outras mas isso não quer dizer que as incompletas estejam mal. Por exemplo, muitas das subscrições em papel estão sem data de nascimento mas isso não as invalida porque a data de nascimento não era requerida nessa altura. Claro que o ideal seria termos todas as subscrições com todos os dados necessários (nome, nº de BI/CC, data de nascimento e Nº de Eleitor). Por esse motivo, estamos a pedir aos subscritores que nos enviem as respectivas datas de nascimento, se ainda não o fizeram — até porque esse dado permite-nos recuperar algumas subscrições que estão neste momento inválidas por preenchimento deficiente (ilegível ou incompleto). Quanto ao seu caso, estive a verificar a nossa lista de subscritores e temos mesmo todos os dados, ou seja, está tudo bem com a sua subscrição.
      Atenciosamente,

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.