A ILC na Associação dos Estudantes do IST

Lisboa, 1 de Setembro de 2012, 16:30 h – 18:30 h.

Reunião na AEIST para preparar o lançamento da campanha de recolha de assinaturas para a ILC nas instalações do Instituto Superior Técnico.

Presenças
– pela ILC: Hermínia Castro, Rui Valente, Maria do Carmo Vieira, Paulo Jorge Assunção e João Pedro Graça.
– pela AEIST: Marcos Grazina
– pelo Movimento “Desacordo Técnico“: Pedro M. Afonso.

Conclusões
1. A campanha arrancará no próximo dia 25 com uma sessão de esclarecimento, promovida conjuntamente, com oradores convidados por ambas as partes, estando também prevista a realização de pelo menos um outro evento similar no dia 2 de Outubro.
2. Serão colocados à disposição de estudantes, professores, funcionários e visitantes do IST, em diferentes locais, os impressos de subscrição e o texto integral da ILC, responsabilizando-se a AE pela recolha e confidencialidade dos dados dos subscritores bem como pela guarda e posterior entrega dos impressos preenchidos à Comissão Representativa da ILC.
3. Serão expostos cartazes de divulgação da iniciativa em alguns pontos estratégicos, nomeadamente no edifício da AE, e serão publicados – tanto no “site” da ILC como na página do Movimento “Desacordo Técnico” – vários conteúdos de apoio e propaganda à campanha em curso e aos eventos a realizar neste âmbito.

Neste momento temos já as primeiras presenças confirmadas e aguardamos outras respostas de convidados para que se possa completar o “painel” de oradores em ambas as sessões. Os programas completos dos eventos serão divulgados oportunamente.

Actualização em 21.09.12 – 22:45 h.
Atenção: estes eventos foram cancelados nas datas previstas, aguardando-se marcação de novas datas por parte do IST. Ver “post” sobre este assunto esclarecendo a situação.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2012/09/10/a-ilc-na-aeist/

13 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Um vibrante aplauso para a Associação de Estudantes do IST.
    Façamos “força” para que todas as Associações de Estudantes deste país lhe sigam o magnífico e nobilíssimo exemplo.
    Parabéns, e obrigado por não desistirem!

    • Jorge Teixeira on 10 Setembro, 2012 at 21:07
    • Responder

    Fantásticos Estudantes!

    • Maria Miguel on 11 Setembro, 2012 at 1:29
    • Responder

    Aplausos! Aplausos e Aplausos! Que a coragem destes Estudantes-com maiúscula, ajude a acordar as mentes sem opinião porque se deixaram adormecer.

    Um recado em estilo pueril e por isso mesmo muito sério:
    É preciso acrescentar, na Estação do Metro Aeroporto Lisboa, todas as letras que foram suprimidas, estragando informações e sinalética.
    Foi, também e por falta de senso, dado relevo ao transporte subterrâneo, escrevendo Metro com maiúscula e diminuiu-se o transporte aéreo, escrevendo aeroporto com minúscula. Parece que “Metro Aeroporto Lisboa” é o nome da Estação! Será? Então trata-se de nome próprio com três palavras!?… Podem verbalizar-me todas as regras gramaticais, mas aqui não entendo nem elegância nem coerência.

    Ah! E é preciso trocar umas quantas letras estilizadas que desfeiam os nomes de personalidades-caricaturas, que enriqueceram a nossa cultura. Ainda não viajei até lá, mas segundo a reportagem fotográfica que vi, os respectivos nomes também foram objecto de caricatura e ficaram difíceis de entender. Afinal nem os nossos pilares culturais mereceram ser tratados noutros estilos. Que pena! Mereciam mais Amor.
    Imagino um estrangeiro, ou um português que desconheça os nomes, a tentar decifrar desenho e alfabeto. A rir-se, quem sabe se a gozar. Que ideia se irá fazer da nossa cultura? Sinto uma ingratidão ver que mestres meus permanecerão assim retratados para a posteridade.
    Não discuto arte, mas o estilo.
    Reconheço o autor das caricaturas um dos maiores nomes portugueses e acabo por ter uma reacção destas.

    Significado de caricatura (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa): Representação grotesca de pessoas ou acontecimentos.

    Cumprimentos

  2. (correcção)

    Vem ao Tagus essa recolha de assinaturas?

    • Maria Oliveira on 11 Setembro, 2012 at 14:00
    • Responder

    Brilhante! Cidadãos destes é que deveriam ser condecorados, uma vez que as noções de Pátria, Identidade e Património não lhes são estranhas. Estes estão (ainda) acima da contaminação de preguiça mental que invade toda a sociedade portuguesa. Está em curso uma perigosa “limpeza étnica” da cultura portuguesa. Não hão-de estar longe os tempos em que o revisionismo atribuirá os Descobrimentos Portugueses a “europeus” ou, quem sabe… ao Brasil.

  3. @fs: Sim, também 🙂

    • Ricardo Santos on 11 Setembro, 2012 at 22:19
    • Responder

    Quando é que a recolha de assinaturas vem ao ISEP?

    1. Quando é que o ISEP recolhe assinaturas?

    • Luís Ferreira on 12 Setembro, 2012 at 19:28
    • Responder

    O ISEP precisa que lhe peguem na mão para recolher assinaturas?
    Não têm uma impressora? Não têm uma fotocopiadora? Não sabem assinar? Não têm autonomia para o fazer?

    • Maria José Abranches on 14 Setembro, 2012 at 0:39
    • Responder

    Esta vossa mobilização, caros estudantes, é uma luz de esperança, ao fundo do negro túnel para onde obscuros e indizíveis interesses políticos e económicos nos atiraram: “Malhas que o império tece / Mesmo depois de perdido” (Sophia).

    É também uma garantia de que na futura elite do país – e apesar da fúria “uniformizadora” e massificadora da globalização em curso – haverá portugueses que se sintam pertencer a este povo, a esta língua e a este chão europeu, palmo a palmo conquistado, desde “a primeira tarde portuguesa” (José Mattoso), a batalha de S. Mamede, em 24 de Junho de 1128.

    Mas é preferível ouvir a voz de Sophia de Mello Breyner Andresen:

    «PÁTRIA

    Por um país de pedra e vento duro
    Por um país de luz perfeita e clara
    Pelo negro da terra e pelo branco do muro

    Pelos rostos de silêncio e de paciência
    Que a miséria longamente desenhou
    Rente aos ossos com toda a exactidão
    Dum longo relatório irrecusável

    E pelos rostos iguais ao sol e ao vento

    E pela limpidez das tão amadas
    Palavras sempre ditas com paixão
    Pela cor e pelo peso das palavras
    Pelo concreto silêncio limpo das palavras
    Donde se erguem as coisa nomeadas
    Pela nudez das palavras deslumbradas

    – Pedra rio vento casa
    Pranto dia canto alento
    Espaço raiz e água
    Ó minha pátria e meu centro

    Me dói a lua me soluça o mar
    E o exílio se inscreve em pleno tempo»

    • Fernando Marques on 30 Outubro, 2012 at 4:50
    • Responder

    Arranjem uma forma de recolher assinaturas ON-Line, garanto que teriam mais sucesso, eu sou contra o acordo em todos os sentidos. A língua Matriz é a nossa, e desaparecendo a Matriz todos os desvios deixam de ter lógica e entra-se num caos linguístico. P.F. lutemos todos contra o terrorismo ortográfico que meia dúzia de ditos inteligentes estão a tentar fazer neste País. Para além do mais, acho curioso que países como Angola estejam a recusar o acordo, sendo que, a polémica também já se instalou no Brasil. Só em Portugal, os ditos instruídos não querem ver

    1. @Fernando Marques, já teve uma resposta mas devo acrescentar algo.

      Certamente não imagina que fomos nós mesmos a “inventar” (para prejudicar a própria iniciativa, seria?) a necessidade/obrigatoriedade da assinatura em papel. Certamente não lhe passou pela cabeça que nós gostamos de complicar as coisas, por vício ou assim. Certamente imaginará que nós sabemos perfeitamente que existem umas coisas chamadas “petição” que se “assinam” com uns cliks no teclado, sem assinatura real alguma. E certamente já terá visto que a nossa página no Facebook conta neste momento com mais de 120.000 “assinaturas” electrónicas dessas, o que, para o caso e para os devidos efeitos é praticamente igual a coisa nenhuma. Enfim, se optámos por uma ILC e não por uma simples (e inútil) petição por alguma razão (de peso) terá sido.

  4. @Fernando Marques: Quanto às assinaturas online, pois, seria simplicíssimo se fossem assinaturas virtuais, mas… não é permitido. As subscrições da ILC só são válidas em papel. Mas é possível digitalizar a subscrição e enviar por e-mail: http://ilcao.com/?page_id=288#13

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.