Voluntariado (4)

Não sendo possível fazê-lo individualmente, aqui fica a 4ª relação (ver as anteriores AQUI), à laia de homenagem ao esforço de todos e de cada um, de algumas das subscrições recolhidas por voluntários. Nesta relação – bem como nas anteriores – não se incluem, como é evidente, as de proveniência sob total anonimato de quem as recolheu e enviou.

Por questões de reserva de privacidade e de protecção da identidade, os nomes são referidos apenas pelas respectivas iniciais e localidade da recolha, indicando-se o total de assinaturas conseguidas por cada qual.


H.C.C., Setúbal, 16
M.T.R., Braga, 24
N.F., Figueira da Foz, 12
G.M.P., Porto, 28
J.G.S., Lagos, 51
A.C., Lisboa, 13
S.S.J., Mafra, 14
I.M., Estoril, 12
APCC, Vila Real, 14
M.J.A., Lagos, 14
R.F., Torres Novas, 43
N.C.D, Marinha Grande, 9
L.F., Odivelas, 11
M.P.S., Lisboa, 74
H.R.S., Parede, 9
N.F., Lisboa, 9
M.C.A., Oeiras, 10
V.M., Lisboa, 16
J.A.P., Valongo, 10
CiBio, Vairão, 8
A.M.C, Lagos, 21


Bravo!

A Língua Portuguesa agradece.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2011/09/15/voluntariado-4/

1 comentário

    • Carlos Ferreira on 30 Setembro, 2011 at 15:01
    • Responder

    A cruzada que constituiu e consolidou a minha formação académica no contexto da Lingua Portuguesa, com sacrificios e penalizações jamais poderá ter ocorrido inglóriamente; oponho-me com todas as minhas forças ao laxismo incapacidade e ignorancia do Português que cruzou oceanos correu mundo e agora vitimado pelo facilitismo da ignorancia da informatização é desfigurado das caracteristicas que marcam a nossa lingua como uma das mais perfeitas completas e abrangentes do universo. Sou um técnico literário… e ninguém imagina a frustração que produz esta trêta do Bill Gates estar sempre a colocar erro naquilo que queremos dizer porque os imbecis que estão sentados a programar a linguagem máquina nem português sabem além de que nem um quinto do léxico Português colocam no conteudo do utilizador.
    Primeiro estudem trabalhem e sofram aquilo que os Portuguese verdadeiros estudaram sofreram e trabalharam e estudaram para manter a propriedade do maior legado que esta pátria nos deixou, fora com os mandriões da filologia, vivam os trabalhadores responsáveis pela continuidade da nossa riqueza lexical! para que o Português nunca seja uma Lingua descaracterizada e irrelevante! A lingua portuguesa é livre e valerá sempre o quanto o nosso mérito livre arbitrio e engenho e arte quiser fazer valer. Viva a Lingua Portuguesa original… Viva Portugal

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.