Vamos aos “fatos” e a coisas “registradas”

fatos_registradas

«todas as transações têm que ser registradas para fins tributários»

«Vou continuar a doar comida, mas fatos como este podem acabar por levar as pessoas a mostrarem menos solidariedade no dia-a-dia».

TVI24

 
Esta é mais uma “pérola” que nos foi enviada por Fernando C. Kvistgaard.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2015/02/23/vamos-aos-fatos-e-a-coisas-registradas/

3 comentários

    • Rui Valente on 24 Fevereiro, 2015 at 13:06
    • Responder

    Na longa lista de barbaridades que aqui desfilam a um ritmo quase diário esta merece um lugar de destaque. Tive de seguir o link para ver com os meus próprios olhos: isto está escrito num site .pt e não .br. Ora bem… porque não adoptamos simplesmente a norma pt-BR? Teremos de imediato 100% de unificação ortográfica garantida.

    Admitamos, por ingenuidade, que não era este o objectivo dos promotores do AO. Mas não restam dúvidas de que tudo nos empurra para esse cenário. Viva a Língua dos 500 milhões!

    • Maria José Abranches on 24 Fevereiro, 2015 at 15:09
    • Responder

    Bem visto, Rui Valente! Por isso tantos que deveriam saber o que é o Português europeu andam ‘adotando’ esta passarela para esse objectivo final! Ah! Portugueses valentes, grandes descobridores dos mares e arredores, sempre de cócoras perante os ‘maiores’ de momento!!!

    • José on 24 Fevereiro, 2015 at 16:57
    • Responder

    Desconfio que a palavra “fatos” da notícia tem mesmo a ver com fato. Reparem que até o dono do estabelecimento ficou indignado quando o mendigo, já a mastigar a sandes, mostrou que envergava um caríssimo Armani… Claro que fatos destes podem levar as pessoas a pensar duas vezes, demonstrando “menos solidariedade no dia-a-dia”.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.