“Brazilian”?

[“Screenshot” de página do site SRS (Arjuna)]

Este é, por mera coincidência, o modelo WordPress utilizado aqui mesmo, no site da ILC pela revogação do AO90. Neste momento estamos a traduzir os ficheiros necessários (do original em Inglês), após o que, é claro, os enviaremos para o autor do dito modelo.

Teremos então na lista de versões, por conseguinte, uma versão em Português (que ali era Língua desconhecida, pelos vistos) e a outra que já lá estava, em “Brazilian”.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2012/04/11/brazilian/

8 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Pedro Marques on 12 Abril, 2012 at 0:25
    • Responder

    Brasileiro? Mas que raio, por alma de quem? E sugiro que digam sítio e não site, só fica bem dar o exemplo. Até porque o uso de muitas palavras inglesas também é uma forma de não se valorizar a nossa língua e de não lhe dar a força que precisa, e de não haver tanta importância em escrevê-la da forma mais correcta.

    1. Cada um é como cada qual e todos têm direito a ser como são. Eu, por exemplo, não sou um fundamentalista da Língua (nem de coisa nenhuma), de maneira que escrevo no original o que entendo dever ser conservado no original; como “site”, por exemplo. Ou “mousse” ou “chicuelina”, para dar apenas mais dois exemplos.

    • Jorge Teixeira on 12 Abril, 2012 at 8:45
    • Responder

    Sinceramente, prefiro “Brazilian” a “Portuguese (Brazil)”. Ao menos é mais honesto. As diferenças gramaticais são tantas que o Português do Brasil devia ser reconhecido como língua própria.

    • Pedro Marques on 12 Abril, 2012 at 12:52
    • Responder

    Não é fundamentalismo. Apenas é estrangeirismo a mais, e se nós podemos usar as nossas palavras, porque usamos a dos outros? E não é só isso, a desvalorização da nossa língua também começa por estes pequenos grandes detalhes.

    1. Pois, é a sua opinião, não é a minha.

    • Jorge Pacheco de Oliveira on 14 Abril, 2012 at 8:52
    • Responder

    No Brasil falam e escrevem uma língua muito parecida com o português, mas que já não é bem português, nem na ortografia, nem na sintaxe. Não passa de uma trapalhada cozinhada por analfabetos. O que não é vergonha nenhuma porque é isso que tem acontecido ao longo da História na evolução de várias línguas. Só é pena que no Brasil o analfabetismo seja tão persistente que nem a presidência do país escapa. Agora têm lá uma senhora que insiste em ser designada por “presidenta” com “a” no fim.
    Muitos brasileiros preferem que a língua deles seja reconhecida como “brasileiro” e estão no seu direito. Nós, portugueses, devíamos defender o mesmo. Para já, até seríamos poupados a esta vergonha do AO90, cujo objectivo oficial é uma putativa unificação da ortografia, que não unifica coisa nenhuma e que não passa de uma despudorada cedência à ortografia do Brasil, planeada por desprezíveis traidores do nosso país.

    • Pedro Marques on 14 Abril, 2012 at 22:20
    • Responder

    Jorge Pacheco, a viúva do José Saramago também diz que é Presidenta.

    • Inspector jaap on 16 Abril, 2012 at 11:08
    • Responder

    Por que será que não fico surpreendido com a saramaga???
    Cumpts

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.