O sobreiro vive

[novo prazo de entrega (final): 25 de Abril]

manuscrito


Terminou no passado dia 31 de Dezembro de 2010 o prazo para a recepção de subscrições da nossa ILC.

É verdade que, infelizmente, não atingimos as 35.000 assinaturas necessárias para apresentar no Parlamento o Projecto de Lei de suspensão da entrada em vigor do “acordo ortográfico”.

Mas é verdade também que muita gente ainda não desistiu, apesar de tudo; continuamos a receber não apenas assinaturas individuais como listas de recolha e, o que é mais importante e significativo, sucedem-se os apelos para que a iniciativa continue.

Pois bem, há que decidir.

Ainda valerá a pena continuar? Ainda poderemos ter sucesso? Seremos ainda capazes de travar o passo ao monstro “ortográfico”?

Respondamos então de forma clara e decidida: respectivamente, sim, sim e sim!

Ou, vendo a questão de outra forma, por exclusão de partes.

Existe alguma alternativa para acabar com aquele horror além da Iniciativa Legislativa de Cidadãos? Não, não há.

Podemos renunciar agora à luta quando tanta gente continua ainda a lutar, recusando o AO90, contestando a sua criminosa e traiçoeira entrada em vigor, escrevendo contra ele, publicando textos e estudos que denunciam o seu carácter desconchavado, inútil, desnecessário e, em suma, absurdo?

Pois não, não mesmo, é claro que não podemos renunciar à luta.

Podemos desiludir as expectativas, a esperança e a confiança de tantas voluntárias e voluntários que tão corajosamente continuam a denunciar e a combater este crime de lesa-cultura, recolhendo assinaturas e divulgando a iniciativa?

Não, não podemos, evidentemente, desiludir essa gente valorosa que é a nossa, que somos nós. Temos de continuar, dê lá por onde der e custe o que custar.

Ao fim e ao cabo, nós somos como aqueles activistas que se acorrentam voluntária e decididamente a um sobreiro milenar marcado para abate. E o nosso sobreiro milenar, aquele que alguns pretendem abater gratuita e miseravelmente, é nada mais nada menos do que a nossa língua-mãe, o Português, esse ser vivo antiquíssimo, com o seu tronco gigantesco, de casca rugosa e cheia de antigas e veneráveis cicatrizes; não permitiremos nem que o serrem pela base, separando-o da raiz como quem separa um corpo da sua cabeça, nem que lhe decepem os oito braços grandes, enormes, tão imponentes como os oito países que representam.

Aqui estamos e ficaremos, portanto, inamovíveis e determinados, lutando até ao limite das nossas forças por aquilo que é de todos e de que apenas uns poucos pretendem abrir mão.

Em suma, quer isto dizer que o prazo para recepção das subscrições da ILC contra o AO90 prolonga-se até ao próximo dia 25 de Abril. Se, quando chegados a essa data simbólica, realmente tivermos de concluir que mesmo assim não foi suficiente o empenho e a dedicação de tantos Portugueses a uma causa de todos eles, então poderemos nós outros ficar de consciência tranquila: fez-se tudo aquilo que era humanamente possível.

Veremos, então.

Para já, hoje por amanhã, o sobreiro vive e continua a sua luta para seguir vivendo.

[novo prazo de entrega (final): 25 de Abril]

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2011/01/02/o-sobreiro-vive/

36 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Amigos juristas dizem-me que a AR, por via de uma ILC, não pode suspender ou renunciar a um tratado internacional, como é o cado do do acordo ortográfico de 1990… Não sei.

    1. A ILC contra o Acordo Ortográfico não pretende (e sequer menciona tal coisa) “suspender ou renunciar a um tratado internacional”; apenas revogar uma Resolução da Assembleia da República.

  2. *caso

    • Nany Amaral on 13 Janeiro, 2011 at 1:25
    • Responder

    Quem foi a inteligência que escreveu a carta em cima? Desde quando se escreve,(dalgumas) quando aprendi a escrever foi (de algumas)… Ai este português tão mal tratado e brutalizado…

    • José Pedro Moreau on 13 Janeiro, 2011 at 1:27
    • Responder

    … qualquer dia, só se escreve na areia e nas vidraças …
    … não há dinheiro para alternativas …

  3. eu sou portuguesa e continuo a escrever português de Portugal…Sempre!

    • José Pedro Moreau on 13 Janeiro, 2011 at 1:29
    • Responder

    … qualquer dia só se escreve na areia e nas vidraças …
    … não há dinheiro para alternativas …

    • António José da Costa Maya on 13 Janeiro, 2011 at 2:50
    • Responder

    “A ILC contra o Acordo Ortográfico não pretende (e sequer menciona tal coisa) “suspender ou renunciar a um tratado internacional”; apenas revogar uma Resolução da Assembleia da República”.
    Concordo!

    António José Maya

    • Rita Botas on 13 Janeiro, 2011 at 2:57
    • Responder

    Eu sou portuguesa, falo o português de Portugal, e penso que bem. ´Também é certo que levei algumas réguadas, mas naquele tempo era assim.(anos 40/50).Agora é muito tarde para mudar

    • Ana Coutinho on 13 Janeiro, 2011 at 20:42
    • Responder

    Subscrevo inteiramente, o “escrever à antiga”.
    Faço questão, sempre fiz, de esrever o mais correctamente possível e já agora, de falar também.
    Devo-o ao meu pai e a mim também porque tenho muito brio nisso.
    Assusta-me como se fala e escreve mal a nossa língua, sobretudo pessoas licenciadas.

    Ana C.

    1. Se me permite, apenas uma pequena nota sobre o seu comentário, que aliás desde já agradecemos.

      De facto, não se trata de “escrever à antiga”, como diz, se bem que se entenda o sentido da expressão que emprega. A nossa ILC – e a luta contra o AO90 em geral – não tem nada de retrógrado ou sequer de “reaccionário”, no sentido pejorativo de qualquer dos termos. Pelo contrário, aliás. E também não nos parece que, por antítese, escrever com erros e de forma absurda ou “facultativa” (aquilo que preconiza do AO90, no fundo) seja “escrever à moderna”; bem, pensando melhor, se, de facto, escrever mal é isso, então realmente mais vale não escrever nem “à moderna” nem “à antiga”: basta escrever em Português correcto.

    • Luisa Oliveira on 14 Janeiro, 2011 at 19:33
    • Responder

    Eu só sei escrever português e esforço-me por fazê-lo correctamente.

    • Prof. Machado on 9 Fevereiro, 2011 at 12:06
    • Responder

    É inacreditável a falácia dizer que “Portugal” não quer a Nova Ortografia mas, em um país de 10 milhões de habitantes, não se consiga 35.000 assinaturas contra para revogar uma resolução da Assembleia da República.
    Cumprimentos

  4. Verdade, Prof. Machado! Onde estão os milhões de Portugueses que se dizem insatisfeitos com a atual ortografia? Será que assim como os nossos vizinhos europeus também já optaram pelo português do Brasil?
    Cumpts

  5. Assolutamente. Noi preferiamo il portoghese perché il Brasile è molto più importante e bella. Mi scusi per non sapere scrivere. Non ho nulla contro il Portogallo, ma io preferisco il Brasile.

  6. Boa escolha Sr. Carmo
    Cumpts

  7. Io amo la lingua portoghese non mi importa dove si trova. Se i brasiliani ei portoghesi in grado di capire il motivo per cui lottare così tanto? Io studio la lingua per quattro mesi e mi piace ascoltare musica e guardare carnevale brasiliano. Qui in Italia nessuno è interessato a imparare il portoghese del Portogallo, tutti preferiscono il portoghese del Brasile, perché ha più importanza nel mondo. Accento del Brasile è molto carino anche. Congratulazioni a tutti i paesi di lingua portoghese.
    Grazie per aver accettato i miei commenti non riesco ancora a scrivere la tua lingua.

  8. @Carmelo!
    Questa non è una questione di preferenze,qui si parla di la nostra lingua, la nostra cultura, di il nostro idioma … non stiamo parlando di pizza!
    Capito?

    • Manuela Carneiro on 22 Abril, 2011 at 19:58
    • Responder

    Deixa ver se eu entendi. O sinhô “macarrão à putanesca” faz um comentário e ele mesmo se elogia??hahahahah

  9. Anda ali a boiar um dejecto duma Nany Amaral que cuida saber português. Para que conste, em português, na escrita como na oralidade contraem-se as preposições «de» e «em» com os pronomes indefinidos. Está dicionarizado (v. http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=dalgum)

  10. Exactamente bic laranja!!!

  11. @Carmo!

    Siciliano è lo stesso di italiano?
    Certo che no! Portoghese in Brasile ha anche significative differenze tra il portoghese del Portogallo, è necessario che si sa per certo che tipo di linguaggio è che si vuole imparare a parlare.
    Eppure, non è una questione di preferenza ma piuttosto di essere in grado di fare le scelte giuste.
    Perdonatemi per il mio pessimo italiano!

    • Manuela Carneiro on 22 Abril, 2011 at 21:04
    • Responder

    Ele quando dá a opinião escreve italiano. Quando responde, para ele mesmo, é em português.

    1. O endereço de IP do comentário em “italiano” é o mesmo de outra pessoa que, do Brasil, anteriormente se identificou como “Cláudia Leite”: 201.23.160.70. Ou seja, doravante os comentários de ambas as proveniências serão eliminadas.

    • Manuela Carneiro on 23 Abril, 2011 at 12:54
    • Responder

    Esse comentário acima não foi meu. Alguém está a usar o meu nome.Pode cortar o comentário João Pedro.
    Comentário horroroso.

    1. Já está apagado, ou seja, foi para o lixo, de onde nunca deveria ter saído.

    • Manuela Carneiro on 23 Abril, 2011 at 12:56
    • Responder

    Engraçado que as pessoas querem lutar mas de um modo sujo e preconceituoso.

    • Paulo de Moura on 23 Abril, 2011 at 14:23
    • Responder

    @Cara Manuela

    Que absurdo o seu comentário. Quando chama o português falado no Brasil de ‘PRETOguês’ a senhora envergonha a todos nós. Se assim chama o português de lá como chama o de Angola ou Moçambique? Como pode chamar os espanhóis e os italianos de ratos ou lixos? Pensei haver lido que nesse sítio não se aceitava racismo ou xenofobia.
    Espero que o grupo étnico e as nações aqui insultadas entendam que essa não é a opinião de todos os portugueses.
    Quanto ao propósito ORIGINAL do blog só me resta parabenizá-los!
    Cumpts

    1. Manuela Carneiro já esclareceu que se tratou de sabotagem, ou seja, alguém usou o seu nome. O comentário em causa já foi apagado.

    • Manuela Carneiro on 23 Abril, 2011 at 15:59
    • Responder

    Sr Paulo de Moura, esse comentário, citado pelo senhor, deve ser dirigido a quem usou o meu nome. Jamais falaria isso. Não faz parte da minha educação.Sei lutar pelo que quero de cabeça erguida e com respeito pelo outro.

  12. Uma notícia é de 2010, tendenciosa, com o Malaka promovendo o que ele próprio obrou e à viva força quer legar à posteridade. Como se o Acordo não fosse o desacordo que esta página e vários linguistas com obra publicada atestam. Não se apresenta contraditório na notícia. A par dos linguistas acorditas só dá gente do povo à nora e jovens com noção das coisas mas reféns do absurdo irreal que é esta reforma abrasileirada.
    A outra notícia é publicidade pouco subtil a dicionários acorditas [um belo quinhão de mercado para as editoras] e é de 2008, tem 4 anos, nem merece a pena perder tempo.
    (Texto revisto)

  13. Tem quase 4 anos, digo.

    • Joaquim Pero da Costa on 26 Abril, 2011 at 13:21
    • Responder

    Conseguimos as assinaturas necessárias para a ILC?
    Cumpts.

    • João Pero da Costa on 29 Abril, 2011 at 14:14
    • Responder

    O sr. João Pedro da Graça ou qualquer outro parceiro poderia responder a pergunta que fiz acima?
    Grato;
    Sinceros cumprimentos.

  14. Sr. João Pero da Costa ou Sr. Joaquim Pero da Costa, não sei bem qual dos nomes será exactamente o seu, a sua pergunta é uma FAQ: http://ilcao.com/?page_id=288#24

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Ricardo José and Joaquim CarlosSantos, Carlos Esperança. Carlos Esperança said: Ñ é preciso ser a favor! RT @ricardo: Para quem não desistiu de lutar contra o Acordo Ortográfico: http://bit.ly/hTC9gs #contraAO #AO90 RT. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.