«Portugal está sozinho no AO90» [Miguel Tiago, Rádio Renascença]

renascenca_logo2Comunistas querem “compreender o que se está a passar” com a aplicação do acordo.

O Partido Comunista (PCP) considera que o acordo ortográfico não está a prosseguir os seus objectivos e propôs no Parlamento que seja constituído um grupo de trabalho para debater o assunto. Os comunistas entendem que, depois de o Brasil ter decidido adiar a aplicação do acordo até 2016, Portugal “está sozinho” e esse facto tem de ser discutido.

Num texto entregue na comissão parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, o PCP destaca que “em diversos sectores da sociedade, no jornalismo, nos intelectuais, nos artistas, na cultura em geral, esse debate não está terminado e a utilização da grafia resultante do acordo tem gerado inúmeros dissensos entre a comunidade”.

Além destas “resistências” em Portugal, o deputado do PCP Miguel Tiago destacou ainda, em declarações aos jornalistas, que também a nível internacional o processo tem sofrido “alterações” e “dúvidas”, dando como exemplo o caso do Brasil, que adiou recentemente a adopção do acordo.

O PCP propõe assim que se crie “um pólo de dinamização” do debate em torno do acordo ortográfico e que se ouçam diversos sectores sobre o tema.

O partido, realçou Miguel Tiago, não tem “à partida nenhum posicionamento” em relação ao acordo, querendo “compreender o que se está a passar”.

[Transcrição integral de notícia da Rádio Renascença.]

[Nota: os conteúdos publicados na imprensa ou divulgados mediaticamente que de alguma forma digam respeito ao “acordo ortográfico” são, por regra e por inerência, transcritos no site da ILC já que a ela dizem respeito (quando dizem ou se dizem) e são por definição de interesse público (quando são ou se são).]

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2012/12/21/portugal-esta-sozinho-no-ao90-miguel-tiago-radio-renascenca/

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Rocío on 21 Dezembro, 2012 at 18:54
    • Responder

    Vamós lá ver se começamos a ver um bocado de senso comum (para não dizer lógica pura)

    • Maria Miguel on 21 Dezembro, 2012 at 22:20
    • Responder

    Mais vale tarde que nunca.
    Espero para ver quem são os convidados escolhidos para os debates?
    Que desculpa darão os parlamentares por terem
    adormecido na hora errada, na hora em que
    o parlamento votou tal falta de seriedade.
    Mas acordem todos que, por mim, estão perdoados,
    desde que anulem tudo o que foi/está a ser feito.

    • antónio mestre on 14 Março, 2013 at 3:22
    • Responder

    “O partido, não tem “à partida nenhum posicionamento” em relação ao acordo” ??

    Mas isso é muito suspeito Sr. deputado. Então depois dos pareceres das mais altas autoridades na matéria que são os catedráticos de linguística de todas as Faculdades de Letras ´públicas e privadas todos CONTRA, o Partido não tem uma posição ?? então o Partido despreza assim a ciência.?
    Olhe A As. da Rep.ª não tem competência para se ocupar do tema
    Assim como os tribumais quando têm de se pronunciar sobre uma qualquer questão técnica pedem os pareceres técnicos dos peritos na materia e depois ditam a sentença de acordo, também neste caso A As. da Rep.ª devia respeitar ela mesma e impor o respeito por quem sabe do assunto. Não tem nada que ir agora ouvir as opiniões dos leigos no assunto – para não dizer ignorantes. Devia limitar-se a xigir o respeito de quem na devida altura se pronunciou sobre a matéria, impondo, portanto uma attitude de elementar democraticidade a quem se comportou ditatorialmente.

    Estes pareceres haviam sido solicitados, mas assim que lhes foram transmitidos, foram deitados ao lixo e o ACORDO avançou ditatorialmente CONTRA TUDO E CONTRA TODOS.
    Os escritores não foram consultados, etc ………
    Já hoje é evidente que que os deputados da As. da Rep.ª foram usados para servir os interesses das EDITORAS do Brasil para invadiram o Mercado dos países da CPLP e de Portugal para penetrarem no mercado de 200 milhões de leitores brasileiros.
    O sr. Miguel Tiago conhece melhor do que eu o MATERIALISMO DIALÉCTICO E HISTÓRICO do grande Karl Marx, cuja tese é: todos os acontecimentos explicam-se pelos interesses que lhes estão subjacentes e mais: A INFRA ESTRUTURA MATERIAL É A DETERMINANTE EM ÚLTIMA INSTÂNCIA desses acontecimentos.
    Em todas as audições que a As. Rep.ª fizer sob a batuta do deputado Miguel Tiago eu peço-lhe que tenha em conta que a verdade científica da questão já foi dita nesses pareceres e o resto é blá – blá.
    Muito havia ainda a dizer mas o essencial aí fica.
    Respeitosamente, António Mestre, prof. reformado..

    • Isabel Carvalho on 20 Maio, 2013 at 17:33
    • Responder

    Mais vale tarde que nunca, é verdade, mas depois de entregar à fogueira milhares de livros que poderiam continuar a ser usados, agora preparam-se mais uns quantos para entregar à voragem das chamas.
    Claro que enquanto isso acontece sob o olhar de todos, o Zé Pagode paga as veleidades desses génios da política.
    Infelizmente, não há maneira de mandar esses senhores (não para a fogueira) para a cadeia onde teriam de trabalhar com ardor para compensar o erário público até ao último dia das suas vidas.
    Mas, nesta já tão reconhecida república das Bananas a lei está lavrada para punir duramente o cidadão que rouba uma laranja em vez do saqueador de gravata, que aufere de todas as benesses que foi capaz de inscrever na dita lei.
    Assim… Jamais iremos a algum lado, seja ele qual for.
    Lamento e muito que tantos cidadãos continuem de olhos fechados.
    O que será preciso fazerem-nos para gritarmos que somos pessoas DIGNAS, HONESTAS e VERDADEIRAS ao contrário da classe política que escreve, diz e faz tudo sem pestanejar.
    Hoje, no governo, quem falar verdade perde um braço…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.