«Não merecia Vieira este tratamento» [M.C.V., mensagem]

Lançada obra integral do Padre António Vieira

Numa edição inédita, a totalidade da obra do jesuíta perseguido pela Inquisição ficará à disposição do público num projeto que prevê 30 volumes.
[Título e sinopse de notícia do semanário Expresso.]

Maria do Carmo VieiraDe: Maria do Carmo Vieira
Enviada: sexta-feira, 29 de Março de 2013 14:11
Para: ‘pedrocalafate@hotmail.com
Assunto: Padre António Vieira

——————————-

Caro Professor Pedro Calafate

Desnecessário será citar-lhe extractos de Vieira em que lamenta serem os portugueses tão pouco amantes da sua Pátria e da sua Cultura, mais interessados no lucro e no luxo, aceitando também perseguições inquisitoriais a todos os que ousam pensar (disso foi o autor uma vítima, como bem sabe). Desnecessário será também citar-lhe Pessoa sobre o espírito provinciano e a falta de auto-estima dos portugueses (que como é visível se mantêm), ou ainda sobre «a língua portuguesa» e o acordo de 1911 ou sobre Vieira, «o imperador da língua portuguesa» e «o maior prosador da língua portuguesa». Saberá também que foram estes dois autores usados em discursos políticos, respectivamente pelo Presidente Lula da Silva e Cavaco Silva, numa triste ostentação da sua ignorância literária que lamentavemente parece que contagiou muitos. Aconselho-o também a ler as actas da AR a propósito do AO e, sendo inteligente, não saberá se rir ou se chorar perante tais discursos.

Pelo que tenho constatado sobre as chorudas acções de formação que se têm feito para «ensinar a escrever o português correcto», ou a «ensinar a escrever o português moderno» ou «ensinar a escrever o bom português» (há para todos os gostos), não é só a ignorância que grassa mas também o gosto pelo «vil metal». Desnecessáriamente se tem gasto o dinheiro de todos nós, exigindo-se também que o gastemos (caso dos professores) para que meia dúzia de aventureiros (em que se incluem alguns TLEBIANOS) se ufane dos seus feitos. Estes senhores não são donos da Língua Portuguesa!

Tendo lutado ao longo dos anos pela qualidade do ensino da Língua Portuguesa e pela manutenção dos autores clássicos nos programas de Português, lamento ver a obra completa de Vieira, que não comprarei, devastada e profanada com a aplicação do AO. Relembro que Vieira foi considerado «chato» pelas muitas citações clássicas que fazia e porque «não se integrava nos «interesses dos alunos», por quantos estiveram ligados à Reforma de 2003 e ao esvaziamento dos programas da sua matéria literária. Esses são, na sua maioria, os mesmos que defendem a simplificação da língua por meio deste decretado AO.

Que se fez do trabalho de Margarida Vieira Mendes e de Arnaldo Espírito Santo?

Lamento, caro Professor, que aceite acriticamente a «Nota Explicativa» do AO, bem como as justificações dadas para muitas das «inovações» que inquisitorialmente nos impingem; lamento igualmente que pactue com uma decisão que fez tábua rasa do próprio parecer do Ministério da Educação sobre a aplicação do AO. Engoliu certamente tudo isto. Não merecia Vieira este tratamento.

Melhores cumprimentos

Maria do Carmo Vieira

[Mensagem recebida por email. Publicação a pedido da autora. “Links” inseridos por nós.]

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2013/03/29/nao-merecia-vieira-este-tratamento-m-c-v-mensagem/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Conceição Peixoto on 29 Março, 2013 at 19:58
    • Responder

    Há tempos, assisti na tv a um programa do Dr. Medina Carreira, creio que sobre ensino/educação, e era convidada a Dr.ª. Maria do Carmo Vieira. Não a conhecia, mas fiquei rendida ao que esta senhora disse. No entanto, nunca mais ouvi falar dela, com muita pena minha. Certamente só é conhecida entre os seus pares e no restante meio intelectual. Porque não aparece em entrevistas na tv? Ou porque não tem um programa seu? A televisão está cheia de comentadores aborrecidos, que não trazem nada de novo e, a maioria das vezes, nos obrigam a mudar de canal. Pelo contrário, a Dr.ª. Maria Vieira, além de ser uma óptima comunicadora, teria muito a ensinar a alunos, pais, professores, e a todos os portugueses ávidos de saber um pouco mais de Língua e Literatura Portuguesas.

  1. Aplauso incondicional para o lúcido, conciso e inteligente texto da Prof. Maria do Carmo Vieira, que subscrevo inteiramente.

    • Maria José Abranches on 30 Março, 2013 at 22:47
    • Responder

    Isto é puro terrorismo cultural! A “besta” tomou o freio nos dentes e vai prosseguindo a destruição dos nossos valores mais sagrados, servida por instituições, editoras e intelectuais que se prestam a esta selvajaria! Onde andam os políticos com cultura e coragem para pôr termo a este desatino?

  2. Estimada Prof. Maria José Abranches: hoje não há “políticos com cultura e coragem”. Isso era no tempo de D. Afonso Henriques, “Irmão Templário”, do rei D. Duarte, escritor e filósofo, do rei D. Dinis, poeta da Ordem dos Trovadores, dos príncipes da Ínclita Geração, do rei D. Afonso V, que, segundo consta, era estudioso e Alquimista, além de batalhador… Depois de a Inquisição ter sido imposta aqui em 1536 por D. João III e ter devastado a auto-estima inteligente e o brio do livre-pensamento durante quase 300 anos (só foi extinta em 1821), e depois de mais quase meio século na nova Inquisição salazaresca, os novos políticos substituíram a cultura por arrogância grosseira, e a coragem por violência alarve.
    Em face disto, só nos resta batermo-nos com todas as energias para impedir que o “crime-AO90” e outros crimes sejam consumados.

  3. Exma. Sra. D. Maria do Carmo Vieira

    Desculpe de não lhe ter aposto “DOUTORA”.
    Mas quem escreve assim não necessita de títulos nobiliárquicos a apendoar o nome para se ‘elevar’.
    Caminhamos para transformar o português de Portugal, pelo português brasileiro ou quem sabe, se num futuro próximo, o português de Angola.
    Não percebo muito bem como fazem estas coisas porque, pelo que me é dado ler, o AO não agrada a gregos, troianos. O Brasil suspendeu o acordo até 2016 e Angola, nem quer ouvir falar em acordo.
    Quem terá acordado este desacordo total?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.