«STOP ao acordo» [“Nenuco”, YouTube]

[transcrição]
Ai já começou a gravar. Desculpem. Olá, sou o Nenuco, já devem saber. Neste vídeo vou falar-vos sobre o acordo ortográfico. E porquê o acordo ortográfico? Porque eu estou com dificuldades em escrever… em Português; porque no Francês e no Inglês não há acordo. Ou há? Se calhar há… Se calhar há… Vou perguntar isso aos meus professores. Ok, eu depois pergunto.

Como toda a gente sabe, quando nós andávamos na Primária estavam-nos sempre a insistir para pormos em “correcção” o “C” e o “Ç de cedilha”, em “recepção” o “p” antes do “Ç de cedilha” e assim; e agora querem-nos fazer tirar! Então para que é que nos ensinaram? Não percebo. Não cabe na cabeça de ninguém, isso; só mesmo na cabeça de quem está lá na política, e assim. Só sabem mentir e roubar, mentir e roubar. E aldrabar também.

Mas, por exemplo, porque é que nos ensinaram a escrever com dois “cês”, um “pê” e um “cê” e agora nos querem obrigar a tirá-lo? É estúpido. Mais valia não nos terem ensinado. Só nos estão a fazer perder tempo. E eu não gosto de que me façam perder tempo. Porque perder tempo é uma seca. E depois fazem-me perder tempo e não tenho tempo de vir cá gravar os vídeos para vos fazer rir. Por isso, digam aos professores de Português (e de outras disciplinas, porque há professores de outras disciplinas que também escrevem com o acordo) para não me fazerem perder tempo; porque se eles me fizerem perder tempo vocês não vêem os meus vídeos; e se vocês não virem os meus vídeos até ficam felizes… mas eu não! Eu quero que as pessoas vejam os meus vídeos.

Eu ultimamente ando com dificuldades em escrever por causa do acordo. Oh, pá, dizem que nos querem aproximar dos brasileiros! Eles que se aproximem de nós! Nós é que os descobrimos. Dos angolanos… nós é que os descobrimos, eles que se aproximem. Dos moçambicanos… nós é que os descobrimos, eles que se aproximem. Das outras terras de África que são portuguesas (eu não me lembro de todas, eu sou bom aluno, por isso não me lembro) eles que se aproximem porque fazem-me perder tempo, como já disse. Oh, pá, e depois toda a gente anda com dificuldades em escrever e esses é que têm de se aproximar de nós porque nós é que os descobrimos.

Se estás comigo, mete “gosto”. Se não estás comigo, mete “não gosto”. É só isto que tenho para dizer, passa a mensagem e diz NÃO AO ACORDO ORTOGRÁFICO!
[/transcrição]

Nenuco“, estudante, vídeo alojado em YouTube no dia 20 de Fevereiro de 2012.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2012/03/27/stop-ao-acordo-nenuco-youtube/

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Nenuco.oficial on 27 Março, 2012 at 18:53
    • Responder

    ahahah… muito bom… esse video é meu…
    Facebook:http://www.facebook.com/Nenuco.Oficial tudo a meter gosto:)

    • Luís Ferreira on 27 Março, 2012 at 21:10
    • Responder

    Meter “gosto” nem dá trabalho nenhum. O que dá algum trabalho seria recolher umas assinaturas para a ILC. Se cada amigo seu recolhesse, imaginemos, 10 assinaturas, supondo que tem 20 amigos, seriam 200 assinaturas para ajudar a derrubar este “aborto ortográfico” que querem impingir aos portugueses. O que é que me diz a esta ideia?

    É simples. Basta imprimir e fotocopiar o impresso:

    http://ilcao.com/docs/ilcassinaturaindividual.pdf

    muito bem preenchido, porque os serviços da Assembleia da República vão verificar uma a uma e enviar dentro de um envelope para o apartado que está escrito na parte superior do impresso. Não quer juntar-se a nós neste combate aos políticos portugueses que querem pôr e dispor da língua de todos nós? Só precisa de arranjar um grupo de amigos e pôr mãos à obra.

    Ah! se não arranjar 10, mas arranjar apenas uma, não faz mal, serve perfeitamente! 🙂

    1. Bem, mas este jovem é menor…

  1. Sim, mas pode recolher as assinaturas dos pais, e dos tios, e etc. 🙂

    • Luís Ferreira on 27 Março, 2012 at 23:19
    • Responder

    @HC

    Exactamente 😉

  2. Pois claro. Eu só disse aquilo de o rapaz ser menor por causa das dúvidas e não vá o diabo tecê-las, digamos assim…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.