Os professores e a ILC contra o AO90

Jornal da FENPROF de Novembro/Dezembro de 2011

[transcrição]
A propósito do Acordo Ortográfico e da sua adopção pelo JF foi referida a existência de uma Iniciativa Livre de Cidadãos. Tratou-se de uma gralha, pela qual pedimos desculpa aos nossos leitores. O que está efectivamente em curso é uma Iniciativa Legislativa de Cidadãos (ILC) pela revogação da entrada em vigor do Acordo Ortográfico.

Uma ILC é uma figura prevista no Regulamento da Assembleia da República mediante a qual um grupo de cidadãos pode submeter um Projecto de Lei à votação em plenário. No caso vertente, esta ILC visa revogar, não o Acordo Ortográfico propriamente dito, mas a Resolução 25/2008***, que o implementa em Portugal. A suspensão do AO pretende criar condições para que efectivamente se averigue a necessidade de um acordo ou, no mínimo, para que se corrijam as graves deficiências que unanimemente se lhe reconhecem.

O formulário de subscrição e toda a informação sobre esta ILC estão disponíveis no site oficial da iniciativa, em ilcao.cedilha.net cuja visita sugerimos a todos os professores, tendo em conta a relevância deste tema para tudo o que se relaciona com o ensino em Portugal.
[transcrição]

*** Nota: trata-se da Resolução da Assembleia da República Nº 35/2008, não 25/2008.[nota da ILC]

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2011/12/01/a-fenprof-e-a-ilc-pela-revogacao-do-ao90/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Luís Ferreira on 1 Dezembro, 2011 at 23:10
    • Responder

    Interessante:
    http://www.implicante.org/artigos/preconceito-linguistico-e-coitadismo-linguistico/

  1. Sou contra a poracria do acordo ortografico, estamos a ser colonizados ao contrário pelo Brazil.

    mais parece um acordo pornográfico!

  2. Depois de ler a Nota da Redacção do Jornal da FRENPROF (JF) deparo-me com esta contradição: dizem ter adoptado o Acordo Ortográfico, mas o artigo não está escrito segundo as suas regras. Leio “Redacção” em vez de “redação”; “adopção” em vez de “adoção”; “efectivamente” em vez de “efetivamente”;”Projecto” em vez de “projeto”…
    Em que ficamos? Dizem uma coisa e escrevem outra?

    1. A nota anterior da FenProf (ver link interno no post) refere que naquele jornal – a bem dizer e em suma – cada qual escreve como entende, em Português ou em acordês.

    • Alves Pereira on 10 Dezembro, 2011 at 10:38
    • Responder

    Se uma grande parte dos professores não fosse constituída por invertebrados, só os professores de Português bastariam para fazer chegar imediatamente a ILC ao Parlamento; mas o que é que acontece???
    NUNCA é por acaso que os Povos estão onde estão e são o que são.
    Cumpts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.