Jul 13 2012

A ILC na CECC (Parlamento)

Estiveram presentes nesta audiência seis pessoas, todas elas subscritoras e apoiantes da ILC pela revogação da entrada em vigor do AO90:

Três deputados receberam esta delegação da ILC, em audiência presidida pelo Sr. Dr. Pedro Pimpão, representando a CECC.

Cada um dos subscritores da ILC teve a oportunidade de apresentar a sua perspectiva sobre o impacto extremamente negativo do AO90 e sobre a forma como todos nós, enquanto representantes da opinião generalizada da esmagadora maioria do povo português, continuaremos a lutar com denodo e persistência até que seja corrigido este erro colossal, pela revogação da entrada em vigor do AO90.

Aguardamos cópia do relatório desta audiência, a elaborar pela Comissão parlamentar, para que do dito possamos dar conhecimento público.

**Perfil de subscritor e apoiante a publicar em breve.

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2012/07/13/a-ilc-na-cecc-parlamento/

9 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Daniel Luís on 14 Julho, 2012 at 13:23
    • Responder

    Aguardo ansiosamente pelo desfecho positivo desta nobre iniciativa.

    • Julio Ramalho on 14 Julho, 2012 at 15:40
    • Responder

    Independentemente do desfecho positivo ou negativo, eu já tenho a minha decisão tomada. Qual é? Continuar a escrever como aprendi e estou habituado. Em alternativa, germina na minha mente a ideia de adoptar o Inglês como língua preferencial, mesmo que tenha de recorrer a programas de tradução e processadores de texto que foram “metidos na gaveta” por todos aqueles que aprovaram e adoptam sem qualquer resistência esta “trapalhada brasigráfica” a que chamam de AO 90.
    Seriam muito mais úteis para a melhoria ambiental do planeta se se interessassem pela (re)descoberta dos inúmeros idiomas locais dos nativos das terras ditas “conquistadas”.

    • Nuno Augusto Pontes on 14 Julho, 2012 at 21:18
    • Responder

    Todos os portugueses tem obrigação de lutar, ou no mínimo apoiar a luta contra essa nefasta iniciativa do governo português. A Língua Portuguesa é um patrimônio do povo, da Nação Portuguesa. Ninguêm tem o direito particular de negociá-la com quem quer seja. A evolução do falar português requer, sem dúvida, ocasionais modificações, atualizações na forma de se escrever, e muitas já se fizeram, porêm tais modificações, atualizações sempre ocorreram por decisão e vontade dos portugueses, e nunca por interferência estrangeira. Permitir intrusão estranha na Língua Portuguêsa, considero uma invasão na soberania do meu país, pois (ainda que escrevendo em português do Brasil) considero o Idioma dos portugueses um património tão valioso e digno de honra e de defesa como a Bandeira de Portugal, minha Pátria.

    • Helena Carvalho on 14 Julho, 2012 at 21:35
    • Responder

    Vou continuar a escrever a Língua Portuguesa como aprendi desde sempre. Não é um tema que possa ser alterado (digo adulterado) de ânimo leve, representa um País, uma identidade soberana, tem raízes profundas, envolve escritores desde Camões a Fernando Pessoa, sem esquecer (nunca) Eça de Queiroz e muitos muitos escritores Portugueses e os Portugueses e PORTUGAL como País único.

    • Ana Isabel Buescu on 14 Julho, 2012 at 22:32
    • Responder

    Aguardo ansiosamente o resultado desta audiência. Esperemos que ainda haja um pingo de vergonha e um assomo de hombridade na AR. Um grande abraço para a Comissão que representou todos os Portugueses, excepto aqueles que, por ignorância ou, pior, por interesse, têm sido os vendilhões da Língua Portuguesa.
    Ana Isabel Buescu

    • Maria Miguel on 14 Julho, 2012 at 22:44
    • Responder

    Não podemos baixar a cabeça. O crime cometido à Língua Portuguesa com objectivos escuros tem de ser mostrado à comunidade e levada a tribunal.
    Tudo está fora de lei: desde a nomenclatura “acordo ortográfico” à mutilação de letras, à perda dos hiféns e de acentos. Aliás, Portugal está fora de lei porque perdeu dignidade.
    Tenho estado atenta às antigas reformas e tenho verificado que a maior parte dos disparates vem de trás. Mas o auge das incoerências estão agora a acontecer. Como foi possível?
    Portugal tem de sair à rua. É preciso exigir que o dinheiro gasto no crime vá para a Educação e que as letras retomem todas os seus lugares. O que falta explicar ao público, para que haja uma reacção, é a parte material que envolve a vergonhosa questão. Porque a sensibilidade não tem vindo a ser ensinada. Não tem sido ensinado que cada letra é um som, que cada palavra é uma canção e que cada frase é uma sinfonia. Ora se não conhece a vibração de cada letra… Destrói-se sem dor.
    Até hoje não encontrei ninguém a favor do “excremento” como diria Eça de Queirós.
    Bem Haja a todos os Portugueses que estão Lúcidos e que tudo estão a fazer para fazer parar o absurdo acto ortográfico.

    • Custódio Silva on 17 Julho, 2012 at 14:25
    • Responder

    Já nos levaram a moeda que tinhamos há séculos.
    Não nos levem também, por favor, a língua materna.

  1. Então, onde está publicado o resultado da reunião ?

    1. O relatório da audiência está publicado neste mesmo site, uns dias após a dita audiência.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.