Desacordo Técnico

AEIST – Associação dos Estudantes do Instituto Superior Técnico, reunida em Assembleia Geral de Alunos, rejeitou hoje o Acordo Ortográfico de 1990 no seguimento da aprovação de uma moção com quatro pontos, votados individualmente.

  • O ponto 1, propondo o “abandono do Acordo Ortográfico de 1990 em todos os documentos e comunicações oficiais da AEIST”, foi aprovado com 30 votos a favor, 4 contra e 11 abstenções;
  • O ponto 2, propondo uma “tomada de posição pública da AEIST contra o Acordo Ortográfico de 1990” foi aprovado com 27 votos a favor, 4 contra e 14 abstenções;
  • O ponto 3, propondo a “defesa, por parte da AEIST, da revogação do Acordo Ortográfico de 1990 junto dos órgãos de governo do Instituto Superior Técnico, assegurando que nenhum estudante seja prejudicado por recusar escrever segundo o AO” foi aprovado com 41 votos a favor, nenhum voto contra e 4 abstenções;
  • O ponto 4, com a “proposta de revogação do Acordo Ortográfico de 1990 em Encontro Nacional de Direcções Associativas (ENDA), no sentido de dar início a um movimento nacional de estudantes do Ensino Superior contra o AO” foi aprovado com 27 votos a favor, 2 contra e 16 abstenções.

[Transcrição integral do texto publicado na página Desacordo Técnico (no Facebook) a 17 de Maio de 2012.]

Print Friendly, PDF & Email
Share

Link permanente para este artigo: https://ilcao.com/2012/05/18/desacordo-tecnico/

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Estes gajos do IST merecem o céu!
    Para além do mais, isto do desAcordo só tem dado problêmas: na tv tiram os cês e os pês todos mas os acentos continuam iguais… É o que lhes dá mais jeito… Uma vez vi uma legendagem na tv portuguêsa (na rtp, sic ou tvi – nêste momento não me lembro qual) que não estava em desAcordo – ESTAVA EM PORTUGUÊS BRASILEIRO!! Com as palavrinhas na versão brasileira como “prêmio”, a falta de determinantes/artigos definidos, linguagem descuidada, etcétera.
    Triste país o nosso. Mas, enfim, a mim os AOs não me dizem nada… Nas minhas coisas escrêvo cômo se escrevia antes do AO de 1911 & tenho 20 annos (só não uso o “ph” – era uma estupidez, porque diziam que se escreviam as palavras com ph porque vinham do grêgo & porque em grêgo usava-se a lêtra “fi” nessas palavras) -.-‘

  2. Muitos parabéns aos estudantes do Técnico! Obrigado!

  3. Bravo!

    • Maria Oliveira on 18 Maio, 2012 at 13:31
    • Responder

    Ena, pá! Sangue novo, gente sem medo, daquela que Sophia amava e sobre a qual escrevia! ABENÇOADOS OS PAIS QUE OS TIVERAM! Gente vertical, daquela dos primórdios, do antes quebrar que torcer!
    A sobra que ainda temos desta Pátria de vendidos e espoliados agradece-lhes a atitude cívica! Afinal, nem tudo está perdido. Mocidade linda, sem medos, ÍNTEGRA, ainda!

    • Maria Oliveira on 18 Maio, 2012 at 15:17
    • Responder

    Ó caraças… Então, ó senhores que gerem este site, não viram o meu erro?… Atão, pá? A emoção era tamanha que escrevi com erro e ninguém me dá cavaco?… Era “espoliados” e não “ex”, está bom de ver… ;0)
    Está reposta a verdade, portanto. Digo eu.

    1. Corrigido a pedido da autora, portanto.

      🙂

    • Maria José Abranches on 19 Maio, 2012 at 0:16
    • Responder

    Enfim uma boa iniciativa! Coragem e determinação, estudantes do Ensino Superior! O país e a nossa língua precisam do vosso empenho! Obrigada.

    • Maria Correia on 19 Maio, 2012 at 13:14
    • Responder

    Bravo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Nuno Augusto Pontes on 19 Maio, 2012 at 21:15
    • Responder

    A língua portuguêsa é dos portugueses, e só os portugueses tem direito moral para mudá-la como quiserem. Acordos com estrangeiros, ó diabo com isso. Eles que mudem o nome da sua língua, falem, escrevam e regulamentem-na como queserem, entenderem e forem capazes… Meterem-se a querer ensinar os portugueses a escrever a lingua portuguesa? Ó diabo com isso mais uma vez!

    • João Silva B. on 21 Maio, 2012 at 16:25
    • Responder

    Bem hajam!
    É pena que as organizações de professores não sigam o vosso exemplo…
    A Língua Portuguesa agradecer-vos-á.

    • Maria Miguel on 21 Maio, 2012 at 23:55
    • Responder

    Haja coragem para afirmar que uma Língua é um Património imaterial que nos é emprestado, como emprestado é o Planeta em que viajamos.
    Um Idioma é desenho sagrado, é uma partitura que as cordas vocais executam… O Português, de tanto ser mutilado, já quase perdeu a sua origem. Que se guarde este resto. Que se deixe AGORA descansar as Palavras. Para salvar a Humanidade temo-las de boa qualidade e de sobra. Bastava que se pronunciassem bem e se escrevessem bem. Não é admissível que se escreva com minúscula Língua Portuguesa ou Português e que o acordo ortográfico se eleve a letra grande. Amo o Português. Sinto todas as letras no meu corpo. Dói-me a alma quando escuto o que se diz e vejo riscos em fúria que destroem o nosso Património arquitectónico. As paredes estão medonhas. A Língua Portuguesa só precisa de ser amada para não ser profanada. Também a Terra tem alimento natural para todos, mas tem que ser amada. Tudo está ligado. A palavra é causa e consequência. Hoje sabemos quais as palavras que causam os nossos cenários cegos pelo lucro.
    Obrigada

    • Maria Miguel on 22 Maio, 2012 at 12:41
    • Responder

    Por favor, agradeço a seguinte correcção: na 6ªl. antes do fim, onde se escreve “doe-“me deve escrever-se “dói”
    A emoção nem sempre é amiga da clareza. Nunca pensei que este assunto “desconexão linguística” interferisse tanto no meu modo sereno de estar.
    Bem Haja!

  4. @Maria Miguel: Corrigido 🙂

    • Duarte Nuno Frade on 22 Maio, 2012 at 17:52
    • Responder

    Que Portugueses são estes que até a LÍNGUA MATERNA conseguem vender?
    Quanto receberam por isso? Quanto temos nós que pagar?
    Vendilhões do Templo, ignóbeis ignorantes.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.